02
ago

Cada um no seu quadrado: bem-vindo à geração Z

MaisEstudopor
MaisEstudo

Já é comum (e bastante polêmico entre os sociólogos) dar nomes aos grupos de pessoas que nasceram em uma mesma época. Esse tipo de classificação surgiu com a geração X, formada por nascidos entre 60 e 70. Depois, veio a geração Y, com aqueles que nasceram no final da década de 70 e que assistiram à revolução tecnológica. Agora, é a vez da geração Z, que tende a influenciar cada vez mais o futuro das gerações anteriores.

Nascidos em meados da década de 90 os ainda meninos e meninas da geração Z são críticos, impacientes, dinâmicos e lidam com a constante mudança de opinião diante de fatos e acontecimentos. Esses jovens também funcionam a curto prazo e buscam experimentação precoce das coisas.

Alguns fatores diferenciam claramente os “Zs” das outras gerações. Em primeiro lugar, eles não vislumbram uma carreira profissional, nem gastam muito de seu tempo com estudos. Há teóricos mais radicais que chegam a afirmar que, em 2020, haverá escassez de médicos e cientistas (será?). Outra característica é a facilidade que têm de operar qualquer instrumento tecnológico. Isso porque eles nunca conceberam o mundo sem computador, chats e telefones celulares. E assim, diferentemente de seus pais, eles não se incomodam em navegar na internet, falar ao telefone e ouvir música, tudo ao mesmo tempo.

Essas diferenças os tornam mais avançados em relação à tecnologia e a novos conceitos, mas também os transformam em egocêntricos, que se preocupam só consigo mesmo na maioria das vezes. E, por isso mesmo, eles estão preocupados com uma questão específica: a da sustentabilidade. Mas não por se preocuparem com o futuro do planeta, mas porque avaliam as condições dos próximos anos para si mesmos. Ao receberem um benefício, os “Zs” o analisam de maneira diferente, colocando no topo de prioridades seus interesses pessoais e não um valor agregado. Seguindo esse raciocínio, a geração Z não gosta de resolver problemas com a ajuda dos outros, preferindo resolvê-los por si mesmos.

Fato consumado é que em cerca de dois anos o mercado de trabalho já vai agregar a geração Z e suas aspirações. Isso significa mudança e inovação de questões relacionadas a liderança, motivação e, principalmente, ao ambiente organizacional. A hierarquia vertical, por exemplo, não é bem vista por esses garotos, que podem facilmente conversar com o chefe como se falasse com o subalterno, apesar de identificar que o outro tem mais poder do que ele. Outra tendência refere-se à predileção por trabalhar em casa, na qual prevalece a comodidade, o recuo em relação ao trabalho em equipe e principalmente a questão individual, de trabalhar sozinho.

E você, vê essa nova geração dessa forma ou discorda?

Fontes: MSN, Veja Online e Catho.

Categorias: Qual é a sua?

Tags: ,
MaisEstudo
MaisEstudo
comunicacao@maisestudo.com.br
@maisestudo

Além de oferecer bolsas de estudo em diversas instituições, Mais Estudo têm a missão de mantê-los informados sobre tudo o que rola de mais importante sobre carreira, estágio, redes sociais, tecnologia e últimas tendências da web. Por isso, não deixe de acompanhar a Mais Estudo nas redes sociais. Afinal, manter-se informado, hoje em dia, é um diferencial e tanto.
MaisEstudo Acompanhe a Mais Estudo nas redes sociais.

A Mais Estudo oferece bolsas de estudo de até 70%. São mais de 40 instituições parceiras, somando mais de 1.000 cursos de graduação tradicional e de curta duração, pós e MBA, cursos técnicos, livres e de idiomas. Twitter Facebook Orkut

20 para “Cada um no seu quadrado: bem-vindo à geração Z”

  1. Leo Becker disse:

    Muito bom o texto. Parabéns.

  2. Fausto disse:

    Muito bom!
    Sou da década de 90, e lendo este texto, vejo que estou perfeitamente encaixado no perfil profissional da Geração Z.
    Parabéns

  3. Lucas de Oliveira disse:

    Sou dessa geração mas não concordo com tudo isso dai não =/

  4. Camila disse:

    EU CONCORDO E FAÇO PARTE DESTA GERAÇÃO !

  5. ViniciusSMrt disse:

    Bom o texto, mas, discordo de algumas coisas. O fato dos jovens não se preocuparem com o planeta, por exemplo. É claro, muitos não se preocupam mesmo, mas tem muitos outros, conscientes, que se preocupam.

  6. Darlan disse:

    Verdade, sou da geração “Z” e prefiro fazer as coisas a minha maneira, ou seja, sozinho, sem ninguém para me “atrapalhar”, o que não acontece de verdade, mas eu detesto quem demora para entender alguma coisa, então prefiro fazer só do que perder tempo explicando…


    Concordo com o ViniciusSMrt, alguns podem não se importar com o planeta, mas muitos outro se preocupam e de certa forma até tentam fazer algo, eu sou um deles, mas sozinho não tem como fazer alguma cosia pelo planeta.

  7. isabela Formiga disse:

    Muito boa essa matéria, sou da geração z também e concordo em partes com o que foi falado. Por exemplo o fato de não nos preocuparmos com o planeta eu discordo. Penso que os jovens estão tomando mais ciência dos fatos e do que pode acontecer daque pra frente no nosso planeta. Mas e claro que nem todos poe em pratica.

  8. Ricardo disse:

    Eu sou da geração x e não tenho problema com nenhuma das gerações como outros tem, adoro a diversidade, mais será que ficaremos todos sozinhos no final como um filme apocalíptico sem entrar em questões religiosas.
    Acredito ser possível trabalhar com técnologia e em equipe e agregar tudo isso ao conjunto, pessoas, afinal sem pessoas, sem empresas, escolas, gente.
    Da para ser Z sem ser sozinho e se não tenho paciência com os outros não precisamos ter com eles, seja z, f, x, o que for.
    União para o planeta, o país, eu e você crescermos.

  9. Eu faço parte dos jovens que não se importam com o planeta. Odeio eco-chatos, vegans, vegetarianos e o Greenpeace.

    • Dalete disse:

      Olha, eu detesto jovenzinhos egocêntricos e babacas. Vê se tenta olhar além do seu próprio umbigo. Acorda para a vida, e perceba que, as pessoas existem, independente de ser do seu agrado ou não! O Greenpeace e os ecologistas só pensam no bem estar da Terra, que é o lar de todos, inclusive, de pessoas ingratas e imaturas. E quanto aos vegetarianos, cada um tem o direito a, dentro de suas possibilidades, alimentar-se, da forma desejada. Odiar tudo e a todos, só vai fazer com que você retroceda na sua evolução pessoal, e ” a caravana não para porque o cachorro late”! Boa sorte, na vida!

  10. Elaine disse:

    Sou da geração Y mais continuo estudando e galgando um futuro melhor muitas vezes me pego querendo fazer várias coisas ao mesmo tempo como ler.assistir tv,etc que se encaixa perfeitamente na geração Z,mais não discordo do texto.

  11. NOLAN disse:

    É lamentavel mas nem as gerações, Y ou mesmo a Z… não se aprofundam em nada…além do aspecto técnico…estão fadados à superficialidade apenas.

  12. REIVAX disse:

    Sou da geração X e acho que a maioria das pessoas da geração Z só pensa no momento atual, não gosta de dificuldades para atingir objetivos, pois pertence a uma geração onde as coisas são bem mais acessíveis, e muitos também são mimados demais.Por outro lado acho que esses se preocupam sim com a questão ambiental.

  13. Paul Ayler disse:

    Nossa! Parece que ta falando de mim, kkkkk, ja tinham me contado sobre essa geração, fico feliz por saber que estou nela =D

  14. Yamara disse:

    Olá!!! Nasci em 88, presumo então que pertenço à uma geração de transição da Y para a Z. E, tomando partido da geração Z discordo do texto com o que diz respeito à questão ambiental, pois acho q os indivíduos desta geração se preocupam com o planeta pensando no futuro das próximas gerações, ou seja de seus filhos (qm os tiver), mas concordo com a questão do dinamismo e individualismo. Só espero q haja uma mudança de mentalidade assim como está ocorrendo em algumas cidades na Itália, pois esta geração corre contra o tempo o q, na minha opnião, diminui a qualidade de vida.

  15. Sou da geração Y e concordo plenamente com a evolução citada pertinente a geração Z.
    Parabéns pela reportagem.

  16. Rafael disse:

    Sou da geração Z e como já disseram algumas pessoas acima, o texto é certo em algumas partes, em outras não.

  17. Ricardo Dantas disse:

    Bem, até certos pontos me encaixo, mas dizer que somos egocêntricos? Eu não acho isso não! Sou muito sociável, gosto de andar com amigos!E dizer também que não vislumbramos a carreira profissional, acho um equívoco!!Generalizando pode até ser, mas pega mal!

  18. @cristianoid disse:

    Li ha um bom tempo, salvei nos favoritos, e como de costume (por mais que demore) voltei pra ler com mais atenção, e concordo com quase tudo. Não sou geração Z, sou Y, mas prefiro, por exemplo, trabalhar em casa, como passarei a fazer no próximo mês, e entendo que esta geração tem uma dificuldade por conta de depressão crônica, ocasiona por exposição a muita informação aleatória. Gosto muito de vídeo que é muito complementar a este tema, vale a pena dar uma conferida: http://promidia.blogspot.com/2010/12/ser-jovem-e-sexy.html

    abraço!

  19. Alessandra disse:

    Essa pergunta vai para os que são da Geração Z: O que vcs acham que falta pra vcs que seria interessante??? Falo em relação a algum tipo de produto ou serviço. É uma pesquisa, agradeço aos que responderem.

Deixe um comentário